Está aqui
Início > Destaques > CASIO PRIVIA PX-S1000 | PX-S3000

CASIO PRIVIA PX-S1000 | PX-S3000

Se procura um piano digital facilmente transportável, com 88 teclas e ação de martelo que possua alto-falantes integrados, talvez este artigo seja para si. De acordo com uma pesquisa realizada pela Casio em janeiro de 2019, estes são os pianos digitais mais finos do mundo (com ação de martelo): Casio Priva PX-S1000 e PX-S3000.

Muitos potenciais compradores de pianos fazem buscas exaustivas para descobrir o instrumento mais adequado às suas pretensões. Invariavelmente o preço de compra é uma forte condicionante no enquadramento dos modelos possíveis. Por isso mesmo, a disponibilidade de instrumentos minimamente competentes de génese eletrónica sai favorecida, sendo cada vez mais comum a aquisição de um piano digital em detrimento dos acústicos (verticais ou de cauda). Excluindo esse óbvio fator de índole económica, são componentes mais subjetivas e pessoais como “tacto/toque” e a “sonoridade” que parecem ser os critérios de avaliação mais relevantes para quem procura o acesso a este mundo. A portabilidade ou não do piano digital, o aspecto global (incluindo a cor) e a marca do fabricante também são variáveis que condicionam a escolha. O formato acaba por condicionar a compra quando a “falta” de espaço frequente nos espaços habitacionais se impõe.

O novo Privia aproveita ao máximo as tecnologias de construção compactas da Casio, resultando num piano digital significativamente mais fino (com profundidade 20% menor que a do modelo anterior) resultante num instrumento leve e facilmente transportável. Para quem a portabilidade interessa, este é um dos modelos a ponderar até por existir uma mochila específica que permite o transporte aos estudantes/músicos que necessitem de mobilidade. Mas, não é por isso que oferece menos, já que o seu design simples e elegante, engloba uma capacidade de reprodução superior. Está disponível em duas variações (preto ou branco) e, em breve, numa nova cor: vermelho.

Com um acabamento brilhante e design plano – sem botões salientes, excluindo o botão do volume – o menu de acesso às funções habituais possui sensores de toque e foi implementado recorrendo a gráficos em LED garantindo um efeito sofisticado e uma visualização fácil, mesmo em condições de luz ambiente reduzida. O design facilita a concentração de quem o utiliza, deixando o teclado atrair a atenção com teclas que imitam ébano e marfim, produzindo um excelente toque sentido pelas pontas dos dedos. Apesar de ser uma unidade compacta, não ficaram de fora do bloco minimalista dois razoáveis alto-falantes ovais (16 cm x 8 cm) somando 8 W + 8 W que garantem a audição externa em sala sem necessidade de amplificação extra. No entanto, para atuações em auditórios ou salas que assim o exijam, existem saídas dedicadas possibilitando a amplificação deste piano digital e ligação aos PA .

A fonte Multi-dimensional Morphing AiR reproduz sons belos e ricos que lembram um piano de cauda. Apesar de ser uma questão muito pessoal, os novos modelos Privia apresentam um som encorpado e expressivo de piano, possibilitando alterações no volume e no tom dependentes da força usada para tocar as teclas. O tom ouvido em todas as notas sustentadas foi melhorado para obter uma reprodução ainda mais expressiva e autêntica. A tecnologia usada pelo Simulador Acústico representa o som real de um piano de cauda, com detalhes não comuns nesta gama de preços – a ressonância complacente revela as relações harmónicas entre cordas vibrantes, enquanto a ressonância do abafador simula a liberação da corda quando o pedal do abafador é pressionado. Inclui ainda a simulação dos sons produzidos pelas teclas mecânicas ao tocar ou retirar o dedo de uma tecla, mesmo com um toque excepcionalmente leve, como o de um piano de cauda real. Os pianistas podem notar, no entanto, uma variação de ‘peso’ pouco natural, ao longo do comprimento de cada tecla mas, de uma maneira geral, a mecânica simulada é adequada à aprendizagem e a performances de pianistas mais experientes. Para quem não aprecia estas nuances sintéticas, felizmente há uma calibração em níveis, possível, atenuando ou enfatizando os efeitos ao gosto do instrumentista. Apreciem esta interpretação que demonstra as potencialidades do Casio PX-S1000 (único modelo disponível em branco), sendo de realçar a excelente aposta na adequação dos 192 tons de polifonia, e onde se pode observar o cuidado da engenharia do produto ao permitir (por canais especificamente criados para isso) a projeção do som na direção dos pianistas, contribuindo para a boa experiência que é escutar as progressões mesmo sentado na banqueta.

Os irmãos PX-S1000 e PX-S3000 possuem uma novidade em termos de teclado que mereceu o nome Smart Scaled Hammer Action Keyboard e é um recém-desenvolvimento que reduz drasticamente o tamanho do mecanismo sem comprometer a sensação ao tocar. Os novos Privia oferecem uma redução expressiva no tamanho do mecanismo de ação que simula o peso dos martelos num piano de cauda, num corpo delgado com apenas 232 mm de profundidade. Na prática o objetivo que norteou este desenvolvimento pretende que o teclado ofereça um toque natural que lembre o do piano de cauda num formato incrivelmente compacto. A inclusão da função Key Off Response, por exemplo, permite a repetição rápida de notas sendo que o tempo de duração da nota é controlado digitalmente com base no movimento das teclas durante o toque. Esta função permite que a próxima nota possa ser produzida antes de a tecla voltar completamente à sua posição inicial.

Como esperado, e dado que se pretende que as 88 teclas proporcionem um toque semelhante ao de um piano de cauda onde o toque varia de acordo com as diferenças de tamanho e peso dos martelos em cada uma das 88 teclas, os novos modelos Privia oferecem essa sensação por meio de uma simulação digital minuciosa, tecla a tecla, que proporciona a subtil diferença no toque. Relembra-se que as teclas imitam ébano e marfim inibindo o escorregamento dos dedos que pode ocorrer devido ao suor em sessões mais longas.

Apesar de não permitir a utilização do recurso MIDI via Bluetooth (é permitido via cabo USB), os novos Privia suportam a ligação áudio Bluetooth, permitindo a audição (através dos alto-falantes) de músicas armazenadas, por exemplo, no seu tablet ou smartphone bem como proporcionando que toque acompanhando as suas músicas favoritas. Pode até aplicar um efeito surround, fazendo com que a reprodução pareça uma apresentação ao vivo, num espaço diferente.

Ambas as unidades (PX-S1000 e PX-S3000) oferecem uma superfície de controle de painel sensível ao toque, polifonia de 192 notas, seis níveis de simulação de toque, áudio Bluetooth, uma aplicação Chordana Play for Piano app (Android e iOS) que permite configurar e até aprender a tocar algumas músicas, funcionam com pilhas AA (não incluídas, garantido até 4 horas de utilização) e um adaptador AC.

Adicionalmente, o PX-S3000 vangloria-se de uma visor LCD gráfico, de um gravador MIDI de duas pistas, muitos mais tons (700 tons, no total, em vez de 18 na versão 1000), 200 ritmos (o PX-S1000 não tem ritmos) e de dois botões (atribuíveis a algumas funções) além de uma modulation wheel.

O mais frustrante, para alguns membros do music forum da Casio, é mesmo não conseguir uma forma de correr em Windows a app Chordana Play for Piano, com a capacidade de remote controller – que obriga a uma emulação Android com suporte MIDI (algo que parece não existir ainda). Apesar de os PX ligarem a DAWs em Windows ou Mac, como controladores, para já obrigam a possuir um tablet ou smartphone extra, para os recursos que a referida aplicação disponibiliza.

O mais competente irmão mais velho custa também bastante mais, o suficiente para competir noutro patamar – no entanto mereceu logo um prémio no evento onde foi apresentado: “Best in Show”do NAMM Show em Anaheim, EUA, que ocorreu entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2019. Não admira assim que a série Casio Privia seja a escolha de alguns dos melhores pianistas do mundo, em diversos géneros musicais.

Se desejar pode optar por um suporte oficial e fique a saber que existe em preto e em branco – para a anunciada cor vermelha, não encontrei informação. São também opcionais a mochila de transporte e uma pedaleira de 3 pedais, tal como nos pianos convencionais. Apesar de ser um equipamento de média gama e com um custo ajustado a este patamar, teria sido inteligente investir mais no suporte opcional, de forma a compatibilizar com uma tampa e uma estante de partituras mais requintada, bem como uma forma de integrar o triplo pedal escondendo o fio, proporcionado a quem faz o investimento valorizar a sua escolha. Apesar de bem integrado o suporte parece-me pouco conseguido. Já a mochila, é uma aposta melhor conseguida.

Eu tenho a sorte de Priv’i’ar com um destes instrumentos – sem nenhuma espécie de apoio ou cedência por parte da marca ou com algum desconto em troca da publicidade. Posso pois recomendar, de forma isenta, a quem está em busca de um piano digital, a inclusão deste equipamento na lista dos que vale a pena avaliar. Especialmente se vai usar em locais variados, por exemplo numa mesa de jantar, sobre uma estante, ou mesmo em cima da cama, i.e. num local onde a projeção de som “para baixo” que muitas marcas sustentam, não é tão capaz de criar a envolvência sonora que merecemos. Lembre-se, no entanto, de ponderar se vai usar maioritariamente com auscultadores – nesse caso a colocação dos alto-falantes não é tão grave. Só tenho acesso, para já, ao pedal de sustain que vem com o equipamento que é leve mas não dispensa, a quem pretende evoluir, a aquisição de um mais ‘real’ que a marca disponibiliza em opção.

Apesar de não ser ainda comum nas lojas portuguesas – eu bem tentei – é fácil descobrir muita informação na Internet, análises e comparações. Fiquem com um conjunto de vídeos que pode ajudar a avaliar os prós e os contras.

Mais informação sobre os acessórios, bem como outras especificações e músicas que estão incluídas podem ser consultadas aqui.

#TablierMagazine
Fonte:
Casio Europe | Casio Music | Casio Japan

José Alberto da Silva
A Informação é a Ciência da sua eleição mas carros, motas, barcos e aviões são veículos que ajudam a sua imaginação a viajar da informática à fotografia, passando pela música e por muitas outras paragens, algumas virtuais. Há quem o considere empreendedor - em diversas áreas. Era assim antes e continua depois de concluir os estudos que, coerentemente, seguiram também diferentes temáticas. Atualmente não dispensa a sua assistente virtual Google Home Mini, o seu portátil, diversos smartphones e está sempre ligado à internet - mas cada vez menos nas "redes sociais"!
https://Tablier.pt
Top