MOTOGP: MARC MARQUEZ VENCE TAILÂNDIA E ESTÁ A UM PASSO DE SER CAMPEÃO

PTT Thailand Grand Prix, Chang International Circuit Thailand

Tailândia. Marc Marquez (Honda) venceu este domingo a 15.ª prova do Campeonato Mundial de MotoGP – PTT Thailand Grande Prix que marcou a estreia do circuito de Buriram no MotoGP. O piloto da Repsol Honda Team cumpriu as 26 voltas ao circuito em 39’55.722s e, com esta vitória, reforça a posição na liderança do campeonato de pilotos, estando a um passo de se sagrar campeão na presente temporada.

Marc Marquez foi acompanhado no pódio por Andrea Dovizioso (Ducati Team) que cumpriu a prova em 39’55.837s e por Maverick Viñales (Movistar Yamaha MotoGP), que a prova com o tempo de 39’55.992s.

Festa no final da prova:

O GP da Tailândia correu-se esta madrugada em Buriram e ditou um reforço da liderança de Marc Marquez no mundial, agora com 271 pontos, sendo seguido de Andrea Dovizioso, com 194 pontos e de Valentino Rossi, com 172 pontos.
A prova deste domingo de MotoGP na Tailândia foi emocionante, do princípio ao fim, com Marc Marquez a sair da pole position e a querer ditar as regras logo de início. No entanto, outros protagonistas iriam passar pela liderança, como foi o caso de Valentino Rossi (Yamaha) que quis superiorizar-se mas, na segunda parte da prova, Andrea Dovizioso e Marc Marquez impuseram a sua presença, ambos passaram Valentino Rossi e dividiram a luta pelo lugar mais alto do pódio entre si.

Valentino Rossi apesar de todos os esforços e da melhor prestação da Yamaha neste grande prémio, ainda assim, não conseguiu suster o ataque e Maverick Viñales que passou o italiano e acabou no terceiro lugar do pódio.

A próxima prova do Campeonato do Mundo de MotoGP – Motul Grand Prix of Japan corre-se no circuito Twin Ring Motegi, no fim de semana 19 a 21 de outubro.

O comentário do editor José Alberto da Silva

A corrida tinha tudo para ser a reviravolta do jogo, com a Yamaha a rubricar tempos ao nível da ‘pole position’. É mais uma corrida que, para ser apreciada, tem que ser vista, vivenciada, seguida do início ao fim. Felizmente, e aparentemente, sem motivos para notícia por manobras que tenham prejudicado de forma vísivel outros concorrentes, ganhou a modalidade pelo ‘fair play’ que se conseguiu apreciar pelas transmissões televisivas – onde nunca se consegue ver tudo, obviamente. Vale a pena referir o bom relacionamento que se viu na pista – basta ver o cumprimento entre os dois verdadeiros “guerreiros”, no final. Guerreiros que deram tudo por tudo nas últimas voltas. E frente a uma assistência onde as camisolas de diversos pilotos eram envergadas por claques que – espantem-se os adeptos de futebol – partilham cadeiras nas bancadas, sem nenhuma espécie de separação entre elas – como bem referiu um dos comentadores de quem me escapou o nome. Dito isto, Marc saiu bem seguido por Dovi e Rossi. O orgulhoso detentor do número 46 parece ter mudado cedo o mapa de programação e atacou – talvez lhe tenha custado um lugar no pódio tê-lo feito tão cedo numa pista que massacra pneus e corpos (foi referido na transmissão que um dos pilotos, nesta pista a estrear, teria perdido no decurso da distância de uma prova, claramente em treino, 10 kg). Mas Rossi sentiu de novo o gosto por rodar na frente durante algumas voltas. Atrás algumas mudanças iam ocorrendo mas o trio da frente mantinha-se estável. Pedrosa resolve atacar e cai, sozinho – pareceu-nos ser na curva 5, que não perdoou excessos a ninguém – talvez a falta da aerodinâmica que Pedrosa não costuma usar tenha sido a causa. Entretanto Viñales parece acordar, ou terá estado a poupar-se já que revela sempre bom final de corrida mas, raramente, tem andado tão perto do grupo da frente. Passa Rossi, ganhando um 3.º lugar que seria mais justo, eventualmente, para “The Doctor” que fez por andar rápido, desde cedo, liderando 18 das 26 voltas. Na frente é indescritível a troca de lugares, rumo a um final épico de Marc Marquez que mostra merecer mais um título.

Moto2: Miguel Oliveira alcança pódio na no GP da Tailândia

Francesco Bagnaia (SKY Racing Team VR46) venceu este domingo a prova de Moto2 em Buriran, na Tailândia. O piloto italiano cumpriu as 24 voltas ao circuito em 39’00.009 s.


Francesco Bagnaia ocupou o lugar mais alto do pódio, mas o seu colega de equipa, Luca Marini, seguiu-se na classificação, terminando a prova em segundo lugar com o tempo de 39’01.521s. Em terceiro lugar classificou-se Miguel Oliveira (Red Bull KTM Ajo), que cumpriu os 109.266 km da prova em 39’01.660s.

Com este terceiro lugar o piloto português está de volta à ribalta do pódio e ainda que Francesco Bagnaia reforce a sua posição na liderança, o “Falcão” segue-o de perto e renasce para um final de temporada prometedor.
Após esta prova ficam a faltar 4 para o fim de temporada de 2018. Francesco Bagnaia aumenta a distância na liderança do campeonato para 28 pontos, em relação a Miguel de Oliveira que, ainda assim não esmorece e, no final da corrida afirmou que não vai desistir. Lembrou que teve alguns problemas de travões na roda dianteira, mas que “ainda há quatro corridas é nunca desistir”.

Quadro Classificação Corrida MotoGP

Quadro Classificação Mundial de Pilotos MotoGP

Quadro Classificação Corrida Moto2

Quadro Classificação Mundial de Pilotos Moto2

Quadro Classificação Corrida Moto3

Quadro Classificação Mundial de Pilotos Moto3

#TablierMagazine
Fonte: MotoGP | Foto: MotoGP

Related posts