SEM VOLANTE NEM PEDAIS

No Salão Automóvel de Genebra (6 a 18 março), num evento com a assinatura Volkswagen, foi feita a apresentação mundial do I.D. VIZZION concept car – o novo produto estrela da família de elétricos I.D. Com o I.D. VIZZION, a Volkswagen define o carro de “amanhã” e “depois”: condução autónoma, controlo intuitivo via realidade aumentada e aprendizagem adaptativa graças à inteligência artificial. O I.D. VIZZION proporciona uma nova dimensão a nível de conforto, conveniência, segurança e sustentabilidade.

O chefe de design da Volkswagen, Klaus Bischoff, explica o I.D. VIZZION.

Klaus Bischoff começou em 1989 o desenho de interiores para a Volkswagen. Desde 2007 é o responsável pelo design da marca Volkswagen. Hoje trazemos, numa tradução livre, uma conversa com ele acerca do novo I.D. VIZZION.

A família I.D. da Volkswagen tem um novo elemento: o I.D. VIZZION, um carro sem volante e sem pedais. Como é que um condutor actual de um GOLF pode imaginar um passeio no I.D. VIZZION?

A gama I.D. compreende o I.D., o I.D. BUZZ e o I.D. CROZZ que traduzem a nossa visão para um futuro próximo – mobilidade eléctrica, totalmente desenvolvida, do mais alto nível. O I.D. VIZZION vai um passo adiante. O futuro do futuro, por assim dizer. Uma nova dimensão em termos de mobilidade, livre de quaisquer restrições.

Claro que é uma sensação muito estranha, a primeira vez que entra num carro que não tem volante ou pedais. Onde estou? Será que entrei, realmente, na frente? E, a partir daí, torna-se claro que este carro não possui limites. Com o I.D. VIZZION, chego ao meu destino, relaxadamente, em primeira classe, sem ter que intervir.

Então, a deslocação para o trabalho ou a ida ao supermercado serão momentos para relaxar?

Basta pensar em quantos quilómetros percorremos hoje, como condutores, envolvidos, de forma concentrada e atenta. Então percebemos o potencial de descompressão que nos pode advir da mobilidade futura.

Como o I.D. VIZZION pode assegurar a deslocação para o supermercado de forma autónoma, o condutor habitual pode usar o tempo para fazer outras coisas. E também não precisa de uma lista de compras porque o seu carro sabe o que precisa da loja – o frigorífico já terá enviado o pedido.

O I.D. VIZZION também poderá ir buscar os seus filhos à escola e levá-los até às aulas de piano. Deste modo, o carro vai-se tornar um assistente pessoal, seu, e móvel.

O tempo gasto com a deslocação para o trabalho, que já hoje assume com frequência uma carga de stress, em engarrafamentos no trânsito e na procura de um espaço de estacionamento, passará a pertencer ao condutor. Isso permitirá que se chegue relaxado e bem preparado ao destino.

Então o interior do carro vai-se tornar numa sala ou escritório móvel?

Sim, um local privado onde eu decido como passar o meu tempo. Como a mobilidade elétrica elimina a necessidade de condução convencional, há muito espaço para os passageiros. Agora, podemos aproveitar plenamente esse espaço interior graças à mobilidade autónoma.

Artesãos especializados, materiais sustentáveis ​​e design harmonioso conferem ao I.D. VIZZION uma qualidade atemporal. Quatro lugares individuais de classe executiva, com função de massagem, criam uma zona de conforto onde quase tudo é possível seja a trabalhar, a relaxar ou mesmo a dormir.

A condução autónoma também afectará o exterior do carro?

Sim, definitivamente. O carro não só deve ser um shuttle espacial altamente eficiente, mas deverá também ser capaz de comunicar com a sua vizinhança próxima — já que o condutor não terá, obrigatoriamente, contato visual com os outros ocupantes da estrada.

Por exemplo, o I.D. VIZZION avisa um peão — que atravesse a rua — projetando uma passadeira no chão. Hoje ainda é uma visão, mas talvez venha a ser uma realidade futura.

Quais são as características distintivas do exterior do I.D. VIZZION?

Todo a família I.D suporta uma declaração de design inovadora, mas sensata. Com o I.D. VIZZION, conseguimos implementar um design ‘sem emendas’, com perfeição de proporções: distância entre eixos longa com as rodas muito próximas das extremidades e uma estrutura simplificada em termos de tejadilho que é visivelmente equilibrada apenas por uma mudança de material e cor.

A forma do veículo parece não oferecer qualquer resistência ao rolamento; o ar flui em torno do carro. Dir-se-ia que o I.D. VIZZION parece ter sido moldado pelo vento. Este carro, acolhedor, personifica calma e equilíbrio.

Posso entrar no I.D. VIZZION e partir sem problemas ou precisaria de uma sessão de treino, antes?

Talvez não o ‘eu’ de hoje, em 2018. Mas o seu futuro ‘eu’ será capaz de o fazer, quando o I.D. VIZZION se tornar uma realidade. O controle, intuitivo, ativado por voz e gestos, pode ainda parecer abstrato, mas, assim como nos nossos smartphones já não existem botões físicos — e não sentimos a falta deles — com o I.D. VIZZION não vamos sentir a perda do volante ou desejá-lo de volta.

Quais são as características de um bom “condutor” autónomo?

O destino. O I.D. VIZZION deverá ser capaz de o alcançar sem qualquer intervenção de um de nós.

O VIZZION também poderá convencer os condutores acérrimos de hoje?

Sim, porque mesmo os condutores atuais, mais acérrimos, não querem passar o seu tempo a conduzir em trânsito para-arranca ou gastar o seu tempo a procurar um espaço para estacionar. O I.D. VIZZION pode desempenhar autonomamente uma grande parte dessas tarefas que muito consomem do nosso valioso tempo livre e energia pessoal.

Os condutores entusiásticos de hoje ainda existirão no futuro. A diferença é que, no futuro, eles só vão conduzir quando quiserem, e por diversão.

 

TablierMagazine

Fonte: Volkswagen 

Related posts